Brasília/DF | 30/09/2023
banner
post image
07/02/2018

Em encontro, Movimento Acorda Sociedade rechaça proposta de reforma previdenciária


Em Reunião Extraordinária realizada na sede do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, em Brasília, o Movimento Acorda Sociedade – MAS congregou líderes e representantes de diversas entidades representativas de servidores públicos para unir esforços contra a Reforma da Previdência. A Anajur compõe o Movimento e alia-se à causa em prol do aperfeiçoamento das instituições públicas e a defesa dos direitos dos cidadãos. Também fazem parte do MAS a Anpprev, Anauni e Sinprofaz, todas entidades coirmãs que atuam em defesa dos Advogados Públicos.

Participaram da reunião representantes do Sindijus, Auditar, Anfip, Anadips, Fenafisco, Anamatra e outras associações que representam servidores públicos nas mais diversas áreas de atuação. Também estiveram presentes o senador João Capiberibe e o deputado federal Alessandro Molon.

Capiberibe defendeu em sua fala a proposta que será apresentada pelo Movimento Acorda Sociedade de impedir alterações via Medida Provisória que versem sobre direitos previdenciários e trabalhistas. O senador ainda se manifestou contrário à proposta de reforma da previdência. “A reforma capitaneada pelo Governo Federal destrói as garantias da seguridade social conquistadas pelos cidadãos com a Constituição de 1988”, afirmou Capiberibe.

Alessandro Molon, por sua vez, exaltou a luta empreendida pelos parlamentares no ano de 2017 para evitar que a Reforma da Previdência, nos moldes apresentados pelo Governo Federal, fosse votada. Em 2018, porém, o tema voltou à pauta. O parlamentar afirmou que não considera que o texto deva ir à votação esse ano. “O governo busca, com toda essa publicidade e exposição, apenas mostrar a essa entidade que se denomina “mercado” que está fazendo o seu dever de casa e que está lutando por seus interesses. Acredito que essa proposta não vá sequer à votação esse ano”, destacou.

Néri Júnior, coordenador do Movimento Acorda Sociedade, afirmou que além de impedir retrocessos nos direitos previdenciários, o MAS pretende que se acrescente à Constituição Federal, inciso que preveja o princípio da confiança em matéria previdenciária. Assim, os trabalhadores terão a garantia de que as regras previdenciárias não mudarão ao longo do seu tempo de contribuição.

As propostas discutidas na reunião serão apresentadas em breve. A Anajur conclama todos os seus associados a se juntarem a essa pauta de lutas contra a reforma previdenciária.